rss search

Monitor touch seduz universidades americanas

line Monitor touch seduz universidades americanas

A interatividade do monitor touch ajuda alunos em pesquisas, localização e muito mais

O monitor touch se adapta perfeitamente ao ambiente universitário, mesmo sem ter feito vestibular. Uma instituição de ensino é uma área de conhecimento pleno e das ciências, temas que harmonizam com a tecnologia. Desde a localização no campus, passando por sua história, biblioteca, e claro, as aulas em si, universidades por toda a América do Norte tem investido nos equipamentos.

“Os Estado Unidos é um país que pensa grande. Eles são líderes em número de patentes e prêmios Nobel. É natural pensar que uma nação que faz tanta questão de ser bem sucedido em ciências fosse lar de instituições com fortes investimentos em infraestrutura, no corpo docente e em pesquisa. Inserir novas tecnologias de forma pedagógica atrai os alunos, e algo tão legal como o monitor touch é certeza de sucesso. Infelizmente, no Brasil, ainda não tomamos consciência disso”, diz a Professora de didática Maria Otília Ramos, da Pontifica Universidade Católica de São Paulo.

O monitor touch combina em uma tela as funções de teclado e mouse e permite que o usuário, apenas com os dedos interaja com o conteúdo. “Se você pensar apenas em termos de uma adaptação, como navegar pela web ou escrever um texto no Word com o monitor touch, a experiência já é diferente, uma nova forma de lidar com o computador. Mas quando pensamos em programas criados para lidar com essa interatividade, a coisa muda de patamar”, explica o cientista da computação Anderson Fernandes.

E é justamente dessa forma que as Universities americanas estão investindo no monitor touch. Mais do que uma mera adaptação, eles criam uma nova linguagem, e a aplicam na educação. “Imagine uma aula de geografia em que você pode tocar, girar o planeta, aumentar ou diminuir o zoom num determinado ponto, que com um duplo toque, diversas informações complementares surgem na tela. É disso que estamos falando, algo que fazem os mapas de papel usado nas escolas brasileiras parecerem artigos primitivos se comparados ao monitor touch”, diz a professora Maria Otília.

Até na área de esportes, as universidades tiram proveito do monitor touch. O esporte universitário é muito popular nos Estados Unidos. Jogos de futebol americano, basquete e baseball, entre outros, como o nosso soccer, são exibidos na TV e levam multidões aos estádios e ginásios, e são passagem quase que obrigatória aos atletas que se tornam profissionais. Nos campi das universidades, há áreas dedicadas aos esportes, e o uso do monitor touch é comum para se ter informações dos jogadores, a história do time, assistir a vídeos de campeonatos anteriores, tudo a disposição dos alunos e torcedores.

“Investir em bibliotecas, pesquisa e infraestrutura de educação é a única forma de fazer um país crescer e sua população evoluir. O quanto mais demorarmos para ver isso, mais tempo vamos perder tempo em discussões sem sentido sobre os rumos do Brasil”, finaliza a professora Maria Otília.



Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>